Bem-Vindos!

Bem vindos ao Blog de Aconselhamento Psicossocial, um espaço destinado à troca de ideias e experiências relativas a esta nova área de formação. Se estás interessado em saber mais sobre esta área ou queres dar a tua opinião e colocar as tuas dúvidas, este é o espaço certo para ti.

terça-feira, 13 de fevereiro de 2007

Em que consiste a licenciatura em Aconselhamento Psicossocial?

Esta nova licenciatura, implementada em Portugal desde 2000, tem vindo a trazer alguma controvérsia à nossa realidade social. Pautada pela semelhança que detém com a formação em Psicologia, é quase sempre comparada a esta e muitas vezes considerada como "Psicologia de segunda".
No entanto, a verdade é que, este novo curso, embora tenha a Psicologia como uma das suas bases (e isso é impossível negar), não se esgota nela.
Os formandos e licenciados em Aconselhamento Psicossocial estão a trazer para Portugal, aquilo que já há muito tempo se pratica em outros países como a Inglaterra ou os Estados Unidos da América, onde o Aconselhamento (Counselling) é um processo onde os clientes recebem auxílio (por parte de um profissional treinado) no sentido de aprender a lidar com os seus conflitos pessoais e interpessoais (www.mediate.ca). É uma terapia, na qual um profissional treinado ouve os problemas e ansiedades do cliente, e aconselha-o, sem o julgar, ajudando-o a encontrar as suas próprias respostas (www.bodyandmind.co.za)
Em termos teóricos, a formação do Técnico Superior de Aconselhamento Psicossocial apoia-se essencialmente em conhecimentos de ordem Biopsicossocial, nomeadamente ao nível:

- da Psicologia (Psicologia Social, da Saúde, do Desenvolvimento, das Organizações, Psicologia Legal, Psicologia Desportiva, etc.);

- da Saúde (diagnóstico, intervenção, reabilitação, neurociências);

- da Sociologia (organizações, estruturas sociais);

- da Educação (escolas, universidades);

- da Antropologia (hábitos e cultura);

- (merecendo ainda especial atenção a formação adquirida ao nível da Metodologia da Investigação).


O Técnico Superior de Aconselhamento Psicossocial funciona em contextos muito distintos, sendo iniciado em técnicas de sondagem, de gestão de conflitos, de ajuda psicológica, de orientação vocacional e profissional, de recrutamento e selecção, de criatividade, de avaliação psicológica e psicopatológica, de discussão de ideias, de comunicação, de formação e investigação, etc.
O objectivo supremo do Técnico Superior de Aconselhamento Psicossocial é o desenvolvimento total das potencialidades do seu cliente, quer se trate de um sujeito ou grupo ditos saudáveis quer de pessoas ou grupos em dificuldade.
O Conselheiro pretende actuar em contextos sociais, organizacionais, clínicos, educacionais, recreativos, desportivos, etc.
Conforme o campo de acção, utiliza as competências adquiridas para sondar pessoas ou grupos, elaborar diagnósticos, intervir psicológica e socialmente, dar apoio psicoterapêutico a pessoas com patologia ou em risco. Poderá ainda trabalhar em contextos de reabilitação e reinserção social, familiar ou laboral.
Devido à formação ministrada o Técnico Superior de Aconselhamento Psicossocial está preparado para exercer a sua actividade em contextos muito distintos. Embora o seu modo preferencial de acção seja a inserção em equipas multidisciplinares, pode também funcionar individualmente e em privado, desde que devidamente profissionalizados (treino e supervisão).
A um nível mais concreto, considerando o contexto português, o Técnico Superior de Aconselhamento Psicossocial pode funcionar no contexto:
- do Ministério da Saúde (hospitais, centros de saúde, centro de alcoologia, centros de apoio a toxicodependentes, lares de reabilitação e reinserção social, perturbações de stress, etc.);
- do Ministério da Justiça (prisões, reinserção social, etc.);
- do Ministério da Segurança Social (situações de risco, diagnóstico de carências sociais, estudos de campo, etc.);
- do Ministério da Educação (orientação vocacional, apoio escolar, apoio familiar, associação de pais, associação de deficientes, inovação, tempos livres, etc.);
- do Ministério do Trabalho (centros de emprego, orientação profissional, situações de desemprego, etc.), da comunidade local (autarquias, juntas de freguesia, tempos livres, lares, etc.) (Martins, s.d.)

6 comentários:

nuninho disse...

olaaa muito boa tarde,bem recebi hoje o mail da Dra.FAtima Ferreira. Eu sou o mediador do 1ºano de apsi e concerteza que vou a reuniao.Agora referindo me a este blog,quando vi no mail a dizer que existia um blog para tirar duvidas,etc.,fiquei mesmo muito contente porque e um ideia muito boa,visto que qualquer duvida que possamos ter,poderemos recorrer a este blog,obrigado em meu nome por este pequeno gesto de fazer um blog porque como tudo na vida,começamos com as pequenas coisas para atingirmos as grandes...beijinho grande...ass: Nuno Baptista.

Carole disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carole disse...

Olá o meu nome é Carole Sá, sou estudante do 4º ano de Aconselhamento Psicossocial e queria dar os parabéns a esta e a todas as iniciatives que sejam criadas para dinamisar o nosso curso.
Espero que estas iniciativas de dinamizar o nosso curso tenham muito sucesso. Pois estamos a precisar de todas as iniciativas para afirmar o nosso curso em Portugal!

Nadaia Gomes disse...

Boa tarde,

Tenho a licenciatura em Aconselhamento e estou a terminar o mestrado de psicologia clinica e da saúde, e gostaria de levantar aqui uma questão:na prática da profissão, que papel poderá ser feito apenas pelo conselheiro? uma vez que todas as competências aqui descritas fazem parte do papel do psicólogo também.
Enquanto não houver uma distinção clara entre as duas profissões, seremos sempre psicólogos de "segunda" já que eles têm todas as nossas competências e mais algumas.
"Se um psicólogo pode fazer todo o trabalho, para quê contratar um conselheiro também." - Esta é a resposta que, nós conselheiros, ouvimos quando vamos procurar emprego.

Claro que a distinção entre as duas profissões já deveria estar feita, bem como o estudo do mercado Português, muito antes de se abrir uma nova licenciatura.

Acho que isto diz muito sobre a realidade em que vivemos, primeiro os lucros e depois as pessoas.

Em suma, peço apenas que parem de atirar areia para os olhos dos conselheiros e que apenas falem quando os argumentos forem concretos, claros e distintos.

Os melhores cumprimentos,

Nadaia Gomes

Monica disse...

Fala serio porque vcs nao fazem psicologia que abrange todas as areas e já é reconhecida...Nao entendo....

Lisa disse...

Olá. Eu estou interessada em saber mais sobre este curso, e quem sabe ate optar por segui-lo. Mas tenho uma dúvida.. Pelo que eu tentei andar a procura, pareceu-me que este curso apenas existe no ISMAI. Gostava de saber se o que estou a pensar está certo ou errado, e se eu estiver errada, gostava de saber em que locais mais o poderia frequentar. :)